criptomoeda
Segurança Digital

Mais de 46 mil pessoas perderam dinheiro em golpes com criptomoedas desde 2021, diz relatório

Uma boa parte da quantia perdida, algo em torno de US$ 185 milhões, foram de “golpes românticos”

2 Minutos de Leitura

Mais de 46 mil pessoas nos Estados Unidosperderam cerca de US$ 1 bilhão em golpes com criptomoedas desde o começo de 2021. Os dados são de um relatório da Federal Trade Comission (FTC, na sigla em inglês – Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, na tradução livre), divulgado recentemente pela Reuters.

Para esclarecer, uma boa parte dessa quantia, algo em torno de US$ 185 milhões, foram de “golpes românticos”, ou seja, aqueles em que criminosos fingem um envolvimento amoroso com a vítima, que inclusive está em alta. Além disso, mais da metade do valor roubado (US$ 575 milhões) foi desviado para realização de transações financeiras falsas com criptomoedas.

Segundo o relatório da FTC, as criptomoedas têm sido uma ferramenta cada mais utilizada na aplicação de golpes e estelionatos. Somente no primeiro trimestre deste ano, já foram subtraídos US$ 329 milhões, isso equivale ao dobro do registrado no mesmo período de 2021.

O relatório também apontou que um em cada quatro dólares perdidos em golpes foi pago com criptomoeda, de janeiro a março do ano passado. Isso significa um volume bem maior do que o de qualquer outro meio de pagamento. Mas, com relação aos “falsos relacionamentos”, os dados são ainda bem alarmantes, pois 30% do dinheiro que levaram foi justamente em criptoativos.

Mais de 46 mil pessoas perderam dinheiro em golpes com criptomoedas desde 2021, diz relatório. (Imagem: FTC)

Canais mais utilizados para realização de golpes com criptomoedas

Não poderia ser outra em primeiro lugar a não ser as redes sociais. O canal é um dos favoritos dos bandidos, que já enganaram quase metade das 46 mil vítimas registradas. Todas disseram ter sido enganadas com algum anúncio, post ou mensagem em uma plataforma de mídia social:

32% dos golpes foram aplicados pelo Instagram; 26% pelo Facebook; 9% iniciaram pelo WhatsApp e outros 7% pelo Telegram. Em média, foram quase US$ 2,6 mil perdidos por cada vítima, seja em Ether, Bitcoin ou Tether (criptomoedas mais comuns usadas em golpes).

“Essas transações não envolvem bancos ou autoridades reguladoras que possam dar o alerta de atividade suspeita e tentar barrá-las antes que se efetivem. Transferências em criptomoedas não têm como ser revertidas, e muita gente ainda não entende bem como isso funciona”, explicou a FTC.

(Imagem: FTC)

Como evitar cair em golpes com criptomoedas?

A FTC alerta que é importante prestar atenção em três pontos que podem identificar se é fraude:

  1. Investimentos com garantia de retorno muito acima da média de mercado; 
  2. Empresas ou pessoas tentando convencê-lo a comprar criptomoedas para “resolver um problema” ou para “proteger seus recursos”;
  3. Um novo namorado/a que se ofereça para ajudar com seus investimentos.

“Se alguém que se mostra interessado em um relacionamento amoroso começa a querer ensinar como se investe em criptoativos, ou se pede para você transferir valores em forma de criptomoedas, pode ter certeza: é golpe”, enfatizou a agência.


Fórum de Programação para Iniciantes - Tire Todas as suas Dúvidas

Começando Agora na Programação? Tire todas as suas dúvidas no PB Overflow, nosso Fórum de Programação para Iniciantes (CLIQUE AQUI)


Sobre o Autor(a)
Jornalista, criadora de conteúdo e redatora desde 2011. Sou a mineira que veio do interior e que virou carioca por amor. Sempre antenada com o mundo ao meu redor e curiosa por natureza, já aterrissei em diversas editorias e segmentos da comunicação. Mas, a minha paixão mesmo é aquela boa mistura da tecnologia com a informação. Atualmente, pós-graduanda em Gestão Estratégica de Marketing Digital.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Últimas Notícias