Criptomoedas

Criptomoedas: o que são e quais cuidados se deve ter na hora de investir nesses ativos?

-

Segundo a Hashdex, o crescimento de investidores em criptoativos em 2021 no Brasil é de 938%

Criptpmoedas. Foto: Banco de Imagens

Muito ouvimos atualmente sobre tecnologia, metaverso e criptomoedas. Essas últimas tem atraído cada vez mais investidores ao redor do mundo.

No Brasil, segundo um levantamento feito pela Hashdex, a maior gestora de criptomoedas do país, com base em dados da B3 e da CVM, o crescimento de investidores em criptoativos em 2021 é de 938%.

Em 2020, eram cerca de 30 mil investidores em fundos e em ETFs. Já em 2021, este número saltou para 325 mil investidores. Em 2017, havia apenas um fundo de criptomoedas. Em 2021, já são mais de 15 disponíveis. Umas das mais conhecidas é o Bitcoin.

A Índia é um país que está tentando banir criptomoedas privadas, na tentativa de criar sua própria moeda digital, regulamentada pelo governo indiano. Você confere essa matéria completa clicando aqui.

O que são criptomoedas? Confira a entrevista na íntegra com a educadora financeira, Sol Dantas

Pingue-Pongue da entrevista

Sol Dantas: São moedas digitais que surgiram em 2008 com a proposta de ser um dinheiro eletrônico pela internet para que fossem realizadas transações rápidas e seguras, sem a presença de um intermediário (como por exemplo o Banco Central).

Quando surgiu a primeira criotomoeda em 2008 (primeira transação em 2009), veio com a função de solucionar um problema de lentidão nos meios de pagamentos internacionais que na época demorava alguns dias para serem concretizados, porém hoje já acontece na hora.

Como transação rápida ela falhou, mas virou uma grande reserva de valor.

PB: Por que cada vez mais esses ativos atraem investidores?

SD: Eles enchem os olhos de todos no mundo dos investimentos pelo simples fato de ser o ativo que mais valorizou nos últimos anos, ultrapassando de maneira avassaladora os investimentos em grandes ações de empresas cotadas na B3 como Amazon, Apple dentre outras.

PB: Quais cuidados se deve ter ao começar a investir nesses ativos?

SD: Os cuidados são os mesmo que se deve ter com investimentos em renda variável de alta volatilidade como as ações por exemplo.

Também é importante ter conhecimento no assunto para não cair em golpes, e ter a paciência que exigem os ganhos no longo prazo.

O dinheiro investido em criptomoeda não deve ser retirado durante oscilações do mercado, em uma carteira de investimento extremamente conservadora ele deve corresponder a 20% do patrimônio investido.

PB: Quais criptomoedas mais valem investimento atualmente?

SD: Bitcoin por ser um ativo que possui um sistema descentralizado caminhando para ser um sistema distribuído e isso trás mais segurança.

PB: Na sua avaliação, quais são as perspectivas desses ativos para o futuro? As criptomoedas, de fato, representam o futuro do dinheiro?

SD: Perspectiva de continuar crescendo como está desde o seu surgimento. Em 2009 um bitcoin comprava duas pizzas e hoje vale um pouco mais de R$320.000,00 mil reais.

É sem dúvida o dinheiro do futuro!

Porém faço questão de ressaltar a necessidade que o nosso país tem por educação financeira básica. Mais de 74% das famílias brasileiras se encontram endividadas gastando mais de 100% do que ganham, precisam se organizar para investir primeiro em um colchão financeiro, que deve ser guardado em renda fixa com liquidez diária, e só depois de se blindar de qualquer possibilidade de dívidas futuras, deve começar a diversificar sua carteira de investimentos.

O que vejo muito na prática da minha profissão são pessoas querendo resultados rápidos acreditando em promessas milagrosas e infundadas.

A ganância e a pressa faz com que os brasileiros esteja no ranking mundial de vítimas por golpes. Não existe atalho, existe organização, disciplina e longo prazo no mundo lícito das finanças.


Siga o Programadores Brasil no Google Notícias e Receba Notícias de Tecnologia -> CLIQUE AQUI e Confira.

Mais Lidas

Sobre o Autor(a)
De Goiás para o mundo. Jornalista, redator, social media e criador de conteúdo. Graduado em Comunicação Institucional e Especialista em Metodologia de Ensino de Língua Portuguesa e Literatura. Estrategista de Marketing e empreendedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *