Na tentativa de rever sua conta no Twitter, Trump recorre ao Tribunal de Justiça da Flórida. Entenda - Programadores Brasil
Redes SociaisTwitter

Na tentativa de rever sua conta no Twitter, Trump recorre ao Tribunal de Justiça da Flórida. Entenda

2 Mins read

Donald Trump ainda briga para ter sua conta do Twitter de volta. O empresário e ex-presidente dos Estados Unidos, pediu a um juiz federal da Flórida que obrigasse o gigante das mídias sociais a restaurar sua conta.

A empresa suspendeu o perfil de Trump em janeiro, após o ataque ao Capitólio dos Estados Unidos em Washington DC. Na ocasião, o Twitter citou preocupações de que Trump incitaria mais revoltas.

A plataforma foi uma das principais ferramentas do ex-presidente durante sua candidatura em 2016. Trump, por meio de sua conta no Twitter, atacou inimigos e conseguiu se manter em alta nos noticiários ao longo do período eleitoral daquele ano.

Acontece que o perfil do empresário era frequentemente usado para compartilhar conteúdos racistas e provocativos sobre diferentes assuntos, desde a imigração até as origens do Coronavírus.

Donald Trump
Ex-presidente dos Estados Unidos foi banido das redes sociais por incitar a violência (Foto: Reuters/Carlos Barría)

Além da conta do Twitter, Trump tem perfil suspenso no Facebook e Youtube

Na última sexta-feira, 1, os advogados de Trump entraram com uma moção no Tribunal Distrital dos Estados Unidos em Miami, em busca de uma liminar contra o Twitter e seu CEO, Jack Dorsey. Os representantes de Trump argumentam que o Twitter está censurando o ex-presidente em violação de seus direitos da Primeira Emenda.

Antes do bloqueio de sua conta no Twitter, Trump tinha cerca de 89 milhões de seguidores na rede social. Lembrando que o empresário também foi suspenso do Facebook, do YouTube e do Google, por preocupações semelhantes a do Twitter: de que ele iria incitar violência.

A proibição do Facebook terá duração de dois anos. Ou seja, até 7 de janeiro de 2023. Após esse período, a empresa revisará sua suspensão. Já a proibição do YouTube é por tempo indeterminado.

Em julho deste ano, Trump abriu processos no Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o distrito do sul da Flórida contra as três empresas de tecnologia e seus CEOs. Na época, Trump alegou que ele e outros conservadores foram censurados injustamente. O pedido de liminar foi apresentado como parte do caso de Trump contra o Twitter.

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

*Com informações do The Guardian*


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *