Uso "abusivo" de dados pode afetar inovação nas empresas, segundo especialista. Entenda - Programadores Brasil
Segurança Digital

Uso “abusivo” de dados pode afetar inovação nas empresas, segundo especialista. Entenda

3 Mins read

O uso de dados pelas empresas de diversos setores se tornou uma das principais muletas para a inovação de seus produtos e serviços. Mas, o fato é que chama atenção o uso “abusivo” de dados que são solicitados a cada dia. E em meio a essa busca excessiva pela informação muitas áreas de negócio acabam se envolvendo em uma espécie de “data-dependência”, onde se veem presos a uma necessidade de dados para que haja inovação na organização.

Uso excessivo de dados pode afetar inovação nas empresas, segundo especialista. (Imagem: Shutterstock)

Segundo o especialista em Privacidade e Proteção de Dados, Paulo Vidigal, é preciso que as empresas avaliem esse fenômeno do uso de dados a pretexto de produzir maiores e melhores resultados. Portanto, confira a seguir alguns pontos importantes que o uso de dados pode estar causando para a economia e inovação:

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

Riscos regulatórios

Eles podem surgir a partir do uso desenfreado de dados, principalmente aqueles de natureza pessoal. Globalmente, há uma tendência crescente de regulamentação das atividades de tratamento de dados pessoais realizadas por organizações privadas e públicas

No Brasil, no ano passado, entrou em vigor a Lei n° 13.709/2018, mais conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Em agosto, essa lei foi “turbinada” com a possibilidade de a Autoridade Nacional de Proteção de Dados aplicar penalidades a agentes de tratamento que não respeitarem as regras, que podem variar entre multas e ordens de exclusão de dados ou interrupção de atividades, entre outras. 

Além disso, a pandemia fez surgir uma enxurrada de incidentes de segurança envolvendo dados, de modo que reter mais dados do que é preciso significa atrair maior risco para o negócio.

(Imagem: Divulgação/ Minha Conexão)

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

Riscos reputacionais

Em paralelo à regulação apontada acima, nota-se um crescimento da preocupação individual com privacidade e proteção de dados. Assim, mais do que o mero cumprimento da lei ou regulação, o cuidado com os dados passa a ser indispensável como valor e diferencial de mercado. 

Deixar de transmitir confiança nesse plano pode causar a marginalização do negócio, seja em decorrência do comportamento de consumidores, diretamente, seja de outras organizações que lidam de forma responsável com o assunto e passam a rejeitar situações de risco. Portanto, compõe parte relevante da reputação de uma organização o quão responsável ela se mostra em relação ao tema. 

Desse modo, estudos demonstram que empresas vítimas de incidentes sinalizam expressiva queda no valor de suas ações, e todo dia surge uma nova história, que estampa capas de jornais, de crise reputacional em decorrência de polêmicas envolvendo o uso de dados.

Uso de dados pelas empresas
(Imagem: Divulgação/ Mundo do Marketing)

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

Custos desnecessários

Aqui está a corrida “pelo ouro” (ou pelos dados), que esconde riscos também de ordem operacional, ainda que o custo de armazenamento de informação seja bastante acessível hoje. Há uma série de casos em que a área de negócio adquire dados, sem maiores reflexões, muitas vezes em duplicidade em relação a serviços contratados por outras áreas, ocasionando um aumento desnecessário de custos

Por vezes, ainda em razão da dependência, as áreas podem fazer um julgamento pobre sobre a real necessidade ou utilidade dos dados que adquiriu e acabar caindo no erro de pensar que sempre “é melhor ter do que abrir mão”.

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

Uso de dados pelas empresas precisará ser consentido pelos clientes, conforme a LGPD
(Imagem: Divulgação/ Portal Unit)

Queda do impulso inovador

Neste último contraponto à cultura “data-driven” é o fato de que, se apoiar exclusivamente na análise de dados (situações fáticas momentâneas), além de conter o risco de se realizar falsas correlações e predições, pode provocar uma certa preguiça aos operadores do negócio e, assim, desacelerar o uso da criatividade e pensamento crítico — componentes essenciais da inovação

Portanto, nesse contexto, apesar de seu inegável valor, os dados podem acabar se tornando uma muleta e, desse modo, diminuir aos poucos a capacidade de inovação da organização.

Em suma, o objetivo deste conteúdo não é desmotivar o uso de dados nas empresas, pois como foi dito ele é indispensável para que haja avanços na economia e também na vida em geral. Mas, é importante frisar a necessidade do uso de dados com equilíbrio, alinhando a ele valores de justiça, ética e dignidade. Tudo isso deve ser usado a favor do negócio com todos os cuidados para que os riscos citados acima sejam minimizados.

(Imagem: Divulgação/ Flowti)

*Com informações Tecmundo*


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo

Homem é condenado a 12 anos de prisão por desbloquear celulares ilegalmente. Entenda o caso

Anonymous assume autoria de ataque responsável pelo vazamento de dados de sites de extrema direita

Mesmo com criptografia ponta a ponta, mensagens denunciadas no WhatsApp podem ser lidas por moderadores. Entenda

Site da Anvisa sofre ataque de hackers que trocam página de formulário por bandeira da Argentina. Entenda

Relatório divulga quais são as vítimas ideais de ataques de ransomware para cibercriminosos. Confira

Novo golpe de cibercriminosos visa enganar usuários com suposto “Windows 11 Alpha” através de documentos do Microsoft Word. Entenda

Brasil é o sétimo país que mais sofreu ataques de ransomware em 2021, aponta relatório. Saiba mais

Cibercriminoso devolve R$ 1,7 milhão a colecionador que teria arrematado NFT falso do artista Banksy em leilão virtual. Entenda

Ciberataques no Brasil aumentam 23% nos primeiros 8 meses de 2021, aponta levantamento da Kaspersky

STJ decide que prints de conversas do WhatsApp divulgados a terceiros pode gerar indenização. Entenda