Foguete da SpaceX realiza voo orbital, levando quatro civis ao espaço. Saiba mais - Programadores Brasil
Ciência

Foguete da SpaceX realiza voo orbital, levando quatro civis ao espaço. Saiba mais

4 Mins read

Na última quarta-feira, 15, a SpaceX, do bilionário Elon Musk iniciou seu voo orbital que leva a bordo quatro civis. Entre eles, o empresário Jared Isaacman.

O foguete Falcon decolou por volta das 21h (horário de Brasília), do Kennedy Space Center, em Cabo Canaveral, na Flórida. É deste local que costumam partir as missões da Nasa.

Este é o voo com humanos que chegará mais longe, desde o programa Apollo, que levou o homem à Lua. Serão três dias em viagem dando voltas ao redor da Terra.

A missão, denominada Inspiration4, é diferente das realizadas pelos “rivais” Jeff Bezos e Richard Branson, que também decidiram investir nesse ramo. A SpaceX realiza um voo orbital, enquanto o dos outros foi do tipo suborbital.

Em outras palavras, o voo orbital é aquele em que a nave consegue circular a Terra. Já no suborbital, a nave sobe até um ponto máximo e depois cai em queda livre de volta à Terra. Além disso, Bezos e Branson estavam a bordo, mas Musk não é tripulante de sua nave.

Além dos quatro civis, a cápsula Dragon carrega itens, como uma versão inédita da música “Time in disguise”, do King of Leons. O objetivo é vendê-los em um leilão beneficente posteriormente.

Veja também: [+] Cupom de U$100 para criar seu Servidor na Digital Ocean

SpaceX entra no mercado de turismo espacial com voo orbital sem tripulantes profissionais (Foto: Reprodução/G1)

Entenda como foi a decolagem para o primeiro voo orbital da SpaceX

De acordo com as transmissões da própria SpaceX, os tripulantes entraram na cápsula duas horas antes do voo e passaram esse tempo aguardando a realização de diversas checagens, antes da decolagem, que ocorreu às 21h03. Um minuto depois apareceram as primeiras imagens da tripulação.

Cerca de 2 minutos após o lançamento, o primeiro estágio do foguete Falcon, responsável pelo impulso inicial, se desprendeu e retornou ao solo. E cerca de 10 minutos após a decolagem, a cápsula com os tripulantes passou a orbitar no espaço.

A previsão de pouso é para daqui a 3 dias, no litoral da Flórida. Durante esse período, a cápsula Dragon dará voltas ao redor da Terra. A nave completará um giro a cada 90 minutos. Elon Musk esteve presente acompanhando todo o processo de decolagem.

Turismo espacial faz sucesso entre bilionários

Em julho deste ano, Richard Branson, da Virgin Galactic, fez um voo de 20 minutos. A nave utilizada era um misto de avião com foguete. O voo superou 80 km de altitude. Assim, foi considerado pioneiro no ramo.

Nave Virgin Galactic
Nave Virgin Galactic chama atenção por modelo diferenciado (Foto: Reprodução/Tecmundo)

Dias depois, Jeff Bezos, ficou 10 minutos a bordo da nave da sua empresa Blue Origin. A nave foi lançada por um foguete tradicional acima da linha de Kárman, que fica a 100 km do nível do mar e que muitos consideram o limite para delimitar o início do espaço. Em contrapartida, a Nasa, aceita o limite de 80 km.

O que se pode observar é que todas essas empresas estão investindo no crescimento do setor. Mas, cada uma tem uma ambição diferente.

A SpaceX, de Elon Musk, por exemplo, já lançou quase 70 foguetes e conseguiu contratos com a Nasa, com a Força Aérea dos EUA e com a agência espacial argentina.

O objetivo é colocar satélites em órbita e ajudar a reabastecer a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

A companhia foi responsável pelo desenvolvimento de foguetes reutilizáveis. Além disso, o plano é levar suprimentos para fora do planeta.

Com a entrada no turismo espacial, após esse primeiro voo orbital que iniciou na última quarta, a SpaceX almeja proporcionar uma experiência “diferenciada”, com voos na órbita da Terra. Já está previsto para janeiro de 2022 a realização de um voo para a ISS.

A tripulação será composta por três empresários e um astronauta experiente. A missão, batizada de Ax-1, está sendo organizada pela empresa Axiom Space, que contratou outros três voos futuros com a SpaceX.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

Blue Origin, de Jeff Bezos, almeja se tornar fornecedora da Nasa

Os planos da Blue Origin, de Jeff Bezos, são parecidos com a da SpaceX. A companhia também já atua na criação de foguetes reutilizáveis e quer se tornar fornecedora da Nasa. Futuramente, a empresa quer testar a possibilidade de assentamentos humanos permanentes na Lua.

Recentemente a empresa de Bezos foi escolhida pela Força Aérea dos EUA para desenvolver novos foguetes. O plano é usa-los em lançamentos militares. Além disso, a Blue Origin também quer levar civis ao espaço, por meio do turismo espacial.

Já Virgin Galactic, de Richard Branson, está focada em desenvolver “aviões espaciais” reutilizáveis. Esses serão utilizados para levar turistas e transportar carga em trajetos curtos pelo espaço suborbital.

A empresa já planeja fazer mais dois voos de teste e começar sua operação comercial em 2022. O objetivo é realizar até 400 voos por ano por base espacial. Cerca de 600 pessoas já compraram suas passagens.

*Com informações do G1*


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo

Cientistas tentam descobrir se sinal de rádio vindo do centro da Via Láctea trata-se apenas de fenômeno desconhecido ou se é alguma civilização alienígena. Saiba mais

SpaceX divulga primeira imagem da órbita registrada pela nave da missão Inspiration4. Veja

Reino Unida inaugura centro de pesquisa dedicado a lixo espacial. Entenda os detalhes

Projetista-chefe de foguetes chineses divulga plano para acelerar envio de missões tripuladas do país à Lua. Entenda

No Japão, cientistas usam células-tronco de vacas Wagyu para produzir carne 3D. Entenda

Pesquisadores testam efeitos da Covid-19 em morcegos e vídeo registra como o vírus destrói as células do cérebro. Assista

Cientistas testam “Pâncreas artificial” para controlar diabetes em pacientes e concluem eficácia do equipamento inteligente. Entenda 

Dados registrados em smartwatch Fitbit são utilizados em pesquisa sobre sequelas provocadas pela Covid-19. Entenda

Amazônia 1 passa por testes e satélite é aprovado para entrar em operação, anuncia AEB. Confira

Cientistas criam máscaras faciais com biossensores que permitem detecção rápida e precisa de SARS-CoV-2, e de outros patógenos e toxinas. Saiba mais