Criptomoedas

Grupo de hackers rouba mais de R$ 3 bilhões em criptomoedas, e torna-se o maior “assalto” da história no mercado de moedas digitais. Entenda

2 Minutos de Leitura

Um grupo de hackers invadiu a plataforma Poly Network para desviar mais de US$ 600 milhões (cerca de R$ 3 bilhões, na conversão direta) em criptomoedas. A nota sobre o ataque foi compartilhada pelo Twitter da empresa, na última terça-feira (10), e até agora está sendo considerado o maior roubo da história no mercado de moedas digitais.

Grupo de hackers rouba mais de R$ 3 bilhões em criptomoedas, e torna-se o maior “assalto” da história no mercado de moedas digitais. (Imagem: Pexels/RODNAE Productions/Reprodução)

Veja também: Confira os 3 Melhores Cursos para Aprender Python

Segundo noticiado pela Forbes, os endereços de carteira de criptomoeda divulgados pela plataforma Poly mostram que 2.858 tokes de ethereum foram transferidos, o que equivale a cerca de US$ 267 milhões; além de 6.610 moedas binance equivalentes a mais de US$ 252 milhões; e aproximadamente US$ 85 milhões em tokens de USDC.

Este roubo supera, portanto, o desvio de US$ 460 milhões da criptocorretora Mt. Gox, que aconteceu em 2014. Na ocasião, os hackers levaram a empresa à falência e chegou a provocar um aumento de regulamentação no mercado das criptomoedas. No entanto, sobre este caso recente de invasão ainda não há muitos detalhes.

Veja também: Confira os 3 Melhores Cursos para Aprender Python

Para esclarecer, a plataforma Poly Network tem como protocolo de funcionamento a interoperabilidade, a fim de facilitar a troca de tokens entre diferentes blockchains. Portanto, a empresa surgiu de uma parceria entre funcionários de diversas plataformas, como Neo, Ontology e Switcheo.

Tentando reduzir os danos

No entanto, para tentar reduzir os danos causados pelo ciberataque, a Poly Network divulgou uma lista de endereços com possíveis locais para onde as criptomoedas podem ter ido. Mas, a empresa também afirmou que vai entrar com ações legais contra o grupo de hackers para obter uma compensação financeira. O CEO da bolsa de criptomoedas Binance, Changpeng Zhao, tuitou que “fará o máximo que puder” para colaborar.

Veja também: Confira os 3 Melhores Cursos para Aprender Python

Então, logo após o ataque, a empresa responsável pela 3ª maior moeda digital do mundo em capitalização de mercado, a Tether anunciou o congelamento de cerca de US$ 33 milhões em tokens USDT. Este valor estava associado ao suposto endereço de carteira do grupo de hackers.

Portanto, a firma de segurança SlowMist, que é baseada em Blockchain, também emitiu um aviso para informar que havia identificado algumas informações, como e-mail e endereço IP do dispositivo do invasor. Além disso, comunicou que estava trabalhando para rastrear mais pistas de identidade dos hackers.


Siga o Programadores Brasil no Google Notícias e Receba Notícias de Tecnologia -> CLIQUE AQUI e Confira.


Mais Lidas da Semana

Em parceria com a Balmain, Barbie estreia no mundo das NFTs. Saiba mais

Desafio do Banco Central vai avaliar soluções tecnológicas para implementação de moeda digital no Brasil

PayPal Coin: PayPal estuda lançamento de criptomoeda própria. Veja

O ano do Bitcoin e as perspectivas para as criptomoedas em 2022. Veja

Coréia do Sul quer bloquear NFTs nas lojas de aplicativos da Apple e Google. Entenda

Ozzy Osbourne lança coleção de NFTs. Saiba mais

Empresa de segurança alerta sobre malware criado para roubar carteiras de criptomoedas no Telegram. Saiba mais

Tendências em criptomoedas para 2022: especialistas indicam que esses ativos devem continuar em alta. Confira

Musk afirma que Tesla aceitará pagamentos em dogecoins. Saiba mais

Novi inicia testes nos EUA para pagamentos com criptomoedas, via WhatsApp. Entenda

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *