Cloudflare anunciou que impediu maior ataque DDoS da história. Entenda os detalhes da operação - Programadores Brasil
Segurança Digital

Cloudflare anunciou que impediu maior ataque DDoS da história. Entenda os detalhes da operação

2 Mins read

Na última semana a empresa de segurança de sites Cloudflare afirmou que impediu o maior ataque DDoS registrado na história. De acordo com a empresa, o ataque teria sido lançado no mês passado, por uma rede de bots (botnet) Mirai.

O alvo seria um cliente não identificado do setor financeiro. Foram registradas mais de 17,2 milhões de solicitações por segundo (rps) para atrapalhar o tráfego da rede. O número é três vezes maior do que ataques registrados anteriormente pela companhia.

“Para se ter uma perspectiva do quão grande foi o ataque, a Cloudflare atende, em média, a mais de 25 milhões de solicitações HTTP por segundo. Com um pico de 17,2 milhões de rps, o ataque atingiu 68% de nossa taxa média de tráfego no segundo trimestre de 2021”, explicou a companhia, por meio de um comunicado sobre o ataque.

Registro do maior ataque DDoS da história (Foto: Divulgação/Cloudflare)

Na prática, os ataques DDoS, também chamados de ataques de navegação de serviço distribuída, são uma tentativa de sobrecarregar a largura da banda de um site ou um serviço na internet para tirá-lo do ar.

Normalmente, um ataque DDoS ocorre em redes de sistemas infectadas por malware e agem por amplificação de solicitações para escalonar a investida. Nesse incidente específico, o ataque se proliferou por mais de 20 mil bots, em 125 países.

Cloudflare orienta sobre como evitar um ataque DDoS em computadores pessoais

De acordo com os endereços de IP identificados, ao menos 15% dos bots vieram da Indonésia. Em seguida, Índia e Brasil somam 17% das consultas. Segundo a Cloudflare, há uma grande rede de aparelhos infectados por malwares no Brasil.

A botnet Mirai, que caracterizou o ataque, nasceu em 2016. Na época, ficou conhecida após deixar quase um milhão de pessoas sem internet na Alemanha. Esse tipo de rede mira dispositivos iOT e se aproveita de falhas de firmware ou em configurações de acesso para transformar o aparelho em um bot e realizar os ataques.

De acordo com a Cloudflare, esses ataques com a Mirai têm se tornado frequentes nas últimas semanas. Só em julho deste ano, por exemplo, o emprego da botnet cresceu 88%.

Além disso, duas semanas atrás uma rede Mirai foi identificada na Ásia. O objetivo era atingir um estúdio de games e um provedor de internet e telecomunicações. No entanto, o ataque não teve êxito.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

A orientação da Cloudfare para evitar um ataque DDoS em computadores pessoais é que o usuário sempre mude seu nome/senha em dispositivos como smart-câmeras e roteadores. Além disso, vale habilitar serviços de proteção automatizados.

“Nesses casos, o ataque termina antes que um engenheiro de segurança tenha tempo de analisar seu tráfego ou ativar seu sistema de proteção DDoS em stand-by”, alertou a empresa.

*Com informações do Olhar Digital*


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *