Muse Group, donos do software de edição Audacity, se pronunciam após polêmica sobre novo termo de uso da ferramenta. Veja - Programadores Brasil
Segurança Digital

Muse Group, donos do software de edição Audacity, se pronunciam após polêmica sobre novo termo de uso da ferramenta. Veja

2 Mins read

Em meio às polêmicas sobre o novo termo de uso do software de edição Audacity, o Muse Group — empresa dona do programa — decidiu se pronunciar. A companhia divulgou um comunicado explicando sobre as novas políticas de privacidade adicionadas na versão 3.0.2 da ferramenta.

A empresa se defendeu das acusações de que a Audacity corria o risco de se tornar um spyware. Ou seja, coletar os dados dos usuários para vendê-los a terceiros.

De acordo com o Muse Group, a empresa se expressou de forma incompleta e nada transparente nos novos termos de uso do software. Mas, agora a companhia detalhará, exatamente, as informações coletadas e para qual finalidade.

Veja também: LGPD: Entenda o que é a Lei Geral de Proteção de Dados e como ela visa proteger seus dados pessoais na internet

“Nós acreditamos que as preocupações se dão especialmente por uma escrita pouco clara nas Políticas de Privacidade, que agora estão em processo de correção”, especifica o comunicado, publicado no GitHub por um representante.

A empresa aproveitou para destacar que os dados coletados pelo software de edição Audacity não serão vendidos ou compartilhados com terceiros em hipótese alguma. A menos que haja um pedido judicial.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

Qual será o propósito dessa coleta de dados no software de edição Audacity?

Segundo a companhia, as informações coletadas referem-se a detalhes básicos do sistema operacional e CPU. Além disso, também serão recolhidas informações do endereço de IP do aparelho utilizado para acessar o software. Este último dado será irrecuperável depois de 24 horas de armazenamento.

A empresa explicou que o objetivo na coleta dessas informações é possibilitar a atualização automática do programa e realizar relatórios de erros (recurso opcional no software).

Ainda de acordo com o comunicado, a equipe do Muse Group se comprometeu a publicar uma versão revisada dos termos em breve. Além disso, garantiu que a atual versão do software (3.0.2) não tem os mecanismos de coleta de dados.

Apesar do comunicado, o Muse Group ainda precisa encarar o desafio de reconquistar a confiança de boa parte dos usuários do programa, que não contam com qualquer coleta de dados no software.

Veja também: [+] Compre seu Notebook com super Desconto nas Lojas Americanas.

*Com informações do TecMundo*


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo

LGPD: Lei Geral de Proteção de Dados prevê sanções que vão desde advertências até multas de R$ 50 milhões que começam a ser aplicadas neste mês. Entenda

Malware Coringa retorna ao Google Play para atingir milhares de dispositivos Android. Entenda

Hacker afirma a jornal que vazou dados do LinkedIn apenas por diversão. Confira

Olimpíadas de Tóquio: Vazamento de dados expõe senhas e informações de login de compradores de ingressos e voluntários dos jogos. Saiba mais

Saem do ar páginas operadas pelo grupo hacker REvil, que realiza ataques 'ransomwares' para sequestrar dados de empresas em todo o mundo. Confira

Kaspersky Password Manager: pesquisador aponta falhas no programa de geração de senhas e empresa se pronuncia sobre o caso. Entenda

Falha PrintNightmare: Microsoft lança atualização de segurança emergencial para corrigir vulnerabilidade. Saiba mais

Após identificação da falha PrintNightmare, Microsoft emite comunicado a usuários do Windows: 'atualizem seu PC imediatamente'. Entenda

Hackers que atacaram empresa com ransomware nos EUA pedem US$ 70 milhões para liberar os dados roubados. Saiba mais

Lei LGPD já é responsável por quase 600 ações judiciais, que questionam empresas por uso de dados pessoais dos cidadãos