Mercado Bitcoin, primeira empresa de troca de criptomoedas do Brasil, levanta US$200 milhões em rodada de investimentos. Saiba mais - Programadores Brasil
Criptomoedas

Mercado Bitcoin, primeira empresa de troca de criptomoedas do Brasil, levanta US$200 milhões em rodada de investimentos. Saiba mais

2 Mins read

A empresa Mercado Bitcoin alcançou recentemente a marca de US$ 200 milhões em financiamento na Série B do SoftBank Latin America Fund. A companhia funciona como uma bolsa de ativos digitais que compra e vende criptomoedas. Além disso, é a primeira empresa brasileira a iniciar um investimento para movimentar o mercado de moedas digitais.

Para esclarecer, durante a rodada de investimentos, o Grupo 2TM, que trabalha como controladora não operacional da Mercado Bitcoin, ficou avaliado em US$ 2 bilhões. Dessa forma, o grupo acabou se tornando um dos 10 principais unicórnios de toda a América Latina.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

No entanto, essa significativa captação de investimentos aconteceu meses após a Série A, que ocorreu no início deste ano. Por outro lado, a Série B veio logo depois de um semestre positivo para a empresa. Segundo os executivos da empresa, cerca de 700 mil clientes fizeram cadastro na plataforma para utilizar os serviços, o que elevou a base de clientes para 2,8 milhões.

Primeira empresa de troca de criptomoedas do Brasil

Fundada pelos irmãos Gustavo e Maurício Chamati, em 2013, a Mercado Bitcoin tornou- se a primeira empresa de troca de criptomoedas do Brasil. Somente nos cinco primeiros meses de 2021, a companhia teve um aumento no volume de negócios de US$ 5 bilhões. Este valor, portanto, superou o volume total arrecadado nos anos anteriores de funcionamento.

Mercado Bitcoin, primeira empresa de troca de criptomoedas do Brasil, levanta US$200 milhões em rodada de investimentos. (Imagem: Divulgação/Mercado Bitcoin)

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

O CEO e presidente do Grupo 2TM, Roberto Dagnonim, descreveu a Mercado Bitcoin como um caso único entre as fintechs. “Isso nos torna um caso um tanto único no ecossistema e entre nossos pares de fintech em geral. Ou seja, poucas empresas conseguiram conciliar crescimento superior a 100% ano a ano com resultados positivos. A coroa do Grupo 2TM”, comentou.

Como fica a Mercado Bitcoin agora?

Atualmente, a Mercado Bitcoin conta com cerca de 500 colaboradores, mais do que o dobro que havia há um ano atrás, por exemplo. No entanto, até o final deste ano, Dagnonim acredita que a empresa chegará a 700 funcionários.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *