Ex-ministro da cibersegurança do Japão, também nomeado para as Olimpíadas de Tóquio, renuncia após declarar que nunca usou um computador. Entenda - Programadores Brasil
Política

Ex-ministro da cibersegurança do Japão, também nomeado para as Olimpíadas de Tóquio, renuncia após declarar que nunca usou um computador. Entenda

2 Mins read

Conhecido por ser um país extremamente à frente das tecnologias, o Japão já foi alvo de polêmicas por nomear o ex-ministro do Japão, Yoshitaka Sakurada, como encarregado da cibersegurança e responsável pelas Olimpíadas de Tóquio, em 2018, mesmo sem entender nada de informática

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

Yoshitaka Sakurada, ex-ministro da cibersegurança do Japão, também nomeado para as Olimpíadas de Tóquio, renuncia após declarar que nunca usou um computador. (Imagem: Phys/Reprodução)

Hoje, sumido do cenário político por cometer uma série de gafes e falas ofensivas, o parlamentar arranhou a imagem da terra do sol nascente ao declarar que nunca havia usado um computador na vida, e ter feito comentários que demonstravam que ele não tinha ideia do que fosse uma porta USB.

“Dou instruções ao meu assessor e, por isso, não entro em um computador sozinho”, disse ele. “Mas estou confiante de que nosso trabalho é perfeito”, disse Sakurada, na época, em uma reunião com a presença da oposição. Além disso, quando questionado sobre a rede elétrica e malware, Sakurada chegou a falar que o USB “basicamente nunca foi usado” nos sistemas de utilidades, parecendo não saber o que estava falando.

No entanto, depois da declaração do parlamentar, políticos da oposição mostraram-se surpresos e começaram a tecer duras críticas ao então ministro da cibersegurança. “Não posso acreditar que uma pessoa que nunca usou um computador esteja encarregada das medidas de segurança cibernética”, disse um deles.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

Ministro da cibersegurança e das Olimpíadas de Tóquio e suas gafes

Mas, além dessas, outras gafes também rondaram a curta passagem de Yoshitaka Sakurada, enquanto esteve à frente do ministério. Uma delas, por exemplo, foi quando a promessa nacional de natação, Rikako Ikee comunicou que não poderia competir nos Jogos Olímpicos depois de ter sido diagnosticado com leucemia.

“Ele é uma potencial medalha de ouro, um atleta que nos deixa com grandes expectativas. Estou muito desapontado“, disse o político. Então, depois das inúmeras críticas à sua declaração, o ministro foi obrigado a pedir desculpas, de acordo com a BBC.

Veja também: [+] 4 Dicas de Como Escolher Os Melhores Cursos de Programação.

Mas, antes de se tornar ministro, quando era apenas deputado, Sakurada também foi muito criticado por referir-se às mulheres coreanas, forçadas a ter relações sexuais com o exército japonês nos tempos da guerra, como “prostitutas profissionais”. 

Pedido de demissão

Perante as muitas gafes durante o seu mandato, a oposição pediu repetidamente a demissão de Yoshitaka Sakurada, que chegou ao cargo de ministro em outubro de 2018. Mas, apenas 6 meses após assumir o cargo, em 2019, o então ministro olímpico renunciou ao cargo. O fato ficou marcado, portanto, por uma de suas últimas declarações polêmicas, que envolveram as vítimas do terremoto de Fukushima (2011).


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *