FLoC: Conheça O novo Sistema da Google para rastrear usuários sem usar cookies - Programadores Brasil
Curiosidades da GoogleSegurança Digital

FLoC: Conheça O novo Sistema da Google para rastrear usuários sem usar cookies

3 Mins read

Atualmente não vivemos longe da internet: para muitas pessoas, a presença online chega a ser maior que a no mundo real. Com redes sociais e serviços de streaming para o lazer, compras online, suíte office para o trabalho, videoconferências, agenda, fotos, backups e etc, hoje mais do que nunca todas as nossas informações estão online de alguma forma, em especial durante o período de pandemia.

Desde os primórdios da internet já se imaginava que esse conjunto de dados poderia se tornar uma mina de ouro para anunciantes, e não é à toa que gigantes como a Google sempre trabalharam para coletar cada vez mais informações sobre os usuários. Atualmente, empresas como Facebook e Google possuem perfis extremamente detalhados de cada passo dos usuários na rede, utilizando-os para gerar receita em sua plataforma de anúncios e treinar seus algoritmos.

Na última década, no entanto, verificamos cada vez mais uma preocupação crescente com a privacidade. Vazamentos de dados, abuso de informações, falsificação ideológica, anúncios invasivos e até delatores como Edward Snowden deixam explícita a necessidade de reduzir o controle que estas corporações gigantes possuem sobre nossos dados. Muita gente passou a bloquear cookies para evitar o rastreamento online, mas a nova técnica da Google, conhecida como FLoC, irá dificultar a vida de quem deseja permanecer anônimo na internet, exigindo técnicas mais robustas como uma VPN para bloquear o rastreamento. Entenda.

Os Cookies são fundamentais para Publicidade na Internet.

O que são cookies e como eles rastreiam seus dados?

Quando acessamos um site, nosso computador se comunica com um servidor através da rede mundial de computadores e recebe diversos dados para exibir a página. Esse mecanismo permite uma série de experiências poderosas, mas não é capaz de reter informações: o perfil do usuário, um carrinho de compras, o último episódio assistido em uma série, entre outros dados, devem ser mantidos enquanto o usuário navega entre as páginas. Para isso, os navegadores de internet são capazes de armazenar um “cookie”, um pequeno arquivo com dados capazes de identificar cada usuário.

O problema é que plataformas como a Google abusam dos cookies para rastrear cada movimento do usuário em todos os sites visitados, criando perfis imensos e invasivos. É por isso que a União Europeia obriga websites a solicitar permissão antes de gerar um cookie, e navegadores como o Firefox bloqueiam cookies de terceiros por padrão. O próprio Google Chrome já oferece os recursos de limpeza periódica de cookies, o que comprometeria a qualidade dos dados coletados sobre os usuários.

Bloquear totalmente o uso de cookies não é uma opção viável, pois diversos websites verdadeiramente úteis deixariam de funcionar corretamente, mas o uso de inteligência artificial e pacotes de bloqueio estão dificultando a vida de anunciantes como a Google que, agora, anunciou um novo mecanismo para rastrear usuários sem precisar dos cookies tradicionais.

A chegada do FLoC

O sistema FLoC é apenas o primeiro de diversos outros mecanismos sendo desenvolvidos para permitir o rastreamento de dados de usuários na internet. Técnicas de fingerprinting permitem que cada pessoa seja identificada, usando dados como a resolução da tela, orientação do dispositivo, endereço IP e até padrões de toque. Já técnicas como a FLoC prometem que nenhum usuário será pessoalmente identificado, e que apenas um “perfil” coletivo de pessoas semelhantes será compartilhado com anunciantes.

De forma simplificada, a técnica já foi habilitada no navegador Google Chrome e usa a inteligência artificial para monitorar o usuário e designar um ID FLoC, que é então compartilhado com as plataformas de anúncios, associando um conjunto de interesses a alguns usuários. No momento, nenhum outro navegador de internet implementou ou comentou sobre a chegada do FLoC, que possui código aberto, enquanto buscadores concorrentes como o DuckDuckGo já se manifestaram contra os impactos à privacidade trazidos com esse tipo de tecnologia.

O FLoC é apenas mais uma arma no arsenal de técnicas invasivas que se tornaram parte comum do nosso cotidiano online. Por isso, é importante sempre manter-se atento e atualizado sobre cada mecanismo de rastreamento – e de proteção contra rastreamento – que chega ao mercado, garantindo sua privacidade sempre que possível. Confira também como o Microsoft Edge ultrapassa Mozilla Firefox em número de usuários.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *