Bioimpressão de órgãos: Pesquisadores dos EUA criam técnica para acelerar a impressão 3D de tecidos vivos. Confira - Programadores Brasil
Ciência

Bioimpressão de órgãos: Pesquisadores dos EUA criam técnica para acelerar a impressão 3D de tecidos vivos. Confira

2 Mins read
Um grupo de cientistas da Universidade de Buffalo, nos EUA, patenteou uma nova tecnologia de bioimpressão de órgãos em 3D que promete revolucionar o futuro dos transplante em humanos. Confira.

A bioimpressão de órgãos já é uma realidade para a atual medicina regenerativa. Foi ao final da década de 90 que os cientistas começaram a idealizar a impressão 3D de materiais biológicos. Então, as técnicas avançaram junto com o tempo e hoje já somos capazes de imprimir vasos sanguíneos funcionais, por exemplo.

Os cientistas esperam poder usar impressões 3D de tecidos vivos a órgãos inteiros para transplante em seres humanos no futuro. Contudo, as técnicas atuais ainda levam horas para completar tais produções.

Diante disso, um grupo de pesquisadores da Universidade de Buffalo, nos EUA, patenteou um novo método de bioimpressão de órgãos 3D que promete reduzir drasticamente este tempo.

“A tecnologia que desenvolvemos é 10-50 vezes mais rápida do que o padrão da indústria e funciona com grandes tamanhos de amostra que eram muito difíceis de alcançar anteriormente”.

Ruogang Zhao, co-autor do estudo, PhD e professor associado de Engenharia Biomédica. 

Veja também: [+] Pacote Python Faixa preta para iniciantes.

Em resumo, o método é semelhante à impressão 3D com resina de que todos já ouviram falar. O processo acontece através da adição de material camada por camada.

Bioimpressão de órgãos

A diferença, no entanto, fica por conta da substância utilizada na fabricação dos tecidos que, nesse caso, são os hidrogéis . Esta substância também está presente na produção de lentes de contatos, por exemplo.

 “Nosso método permite a impressão rápida de modelos de hidrogel na escala de centímetros. Ele reduz significativamente a deformação de peças e lesões celulares causadas pela exposição prolongada aos estresses ambientais que você comumente vê em métodos de impressão 3D convencionais”

Chi Zhou, outros co-autor do estudo, PhD e professor associado de engenharia industrial e de sistemas.

A bioimpressão 3D de órgãos é o futuro dos transplantes

Em um vídeo, no canal da Universidade de Buffalo no YouTube, o grupo de cientistas divulgou um vídeo de demonstração da nova tecnologia.

Assim, é possível assistir ao processo de impressão 3D de uma mão em time lapse. As filmagens são de apenas alguns segundo, mas na realidade a máquina levou 19 minutos para completar a impressão. A título de comparação, os métodos atuais despenderiam cerca de 6h para produzir o mesmo.

Veja também: [+] Pacote Python Faixa preta para iniciantes.

Portanto, o desenvolvimento da tecnologia significa uma grande esperança para o futuro dos transplante de órgãos em humanos, acelerando em muito a fila de espera pra essas cirurgias.

Com informações: WishBox Technologies


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo

Cientistas tentam descobrir se sinal de rádio vindo do centro da Via Láctea trata-se apenas de fenômeno desconhecido ou se é alguma civilização alienígena. Saiba mais

SpaceX divulga primeira imagem da órbita registrada pela nave da missão Inspiration4. Veja

Foguete da SpaceX realiza voo orbital, levando quatro civis ao espaço. Saiba mais

Reino Unida inaugura centro de pesquisa dedicado a lixo espacial. Entenda os detalhes

Projetista-chefe de foguetes chineses divulga plano para acelerar envio de missões tripuladas do país à Lua. Entenda

No Japão, cientistas usam células-tronco de vacas Wagyu para produzir carne 3D. Entenda

Pesquisadores testam efeitos da Covid-19 em morcegos e vídeo registra como o vírus destrói as células do cérebro. Assista

Cientistas testam “Pâncreas artificial” para controlar diabetes em pacientes e concluem eficácia do equipamento inteligente. Entenda 

Dados registrados em smartwatch Fitbit são utilizados em pesquisa sobre sequelas provocadas pela Covid-19. Entenda

Amazônia 1 passa por testes e satélite é aprovado para entrar em operação, anuncia AEB. Confira