Grupo hacker da China podem ter roubado ferramenta cibernética da NSA há anos e só foi descoberto agora. Entenda - Programadores Brasil
Segurança Digital

Grupo hacker da China podem ter roubado ferramenta cibernética da NSA há anos e só foi descoberto agora. Entenda

1 Mins read
Quase 7 anos após o ocorrido, empresa de segurança sugere que um conhecido grupo de hackers da China roubaram ferramenta cibernética da NSA para aplicar golpes hacking em empresas dos EUA. Entenda.
De acordo com uma pesquisa da empresa de segurança israelense Check Point Research, um grupo hacker da China pode ter roubado uma importante ferramenta cibernética da Agência de Segurança Nacional (NSA).  O estudo sugere que os hackers usaram o software para atacar diversos alvos nos Estados Unidos.

De acordo com uma pesquisa da empresa de segurança israelense Check Point Research, um grupo hacker da China pode ter roubado uma importante ferramenta cibernética da Agência de Segurança Nacional (NSA).  O estudo sugere que os hackers usaram o software para atacar diversos alvos nos Estados Unidos.

Os pesquisadores encontraram rastros que sugerem que o grupo extraiu o código de uma ferramenta da NSA ainda em 2014. A partir disso, eles teriam adaptado o sistema para usar em invasões hacking. O recurso malicioso foi chamado de “Jian” e serviu para explorar vulnerabilidades de vítimas entre os anos de 2014 e 2017.

Entre os principais alvos do hacking, está a empresa de defesa Lockheed Martin, que produz peças militares, sobretudo, para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos e outras agências governamentais do país.

O grupo hacker da China foi identificado como APT 31, o qual acredita-se ser financiado pelo governo do gigante asiático. Os mesmos agentes também já foram reconhecidos utilizando os nomes “Zircônio” e “Panda do Julgamento” e tem por característica efetuar roubos de propriedades intelectuais.

Veja também: [+] Pacote Python Faixa preta para iniciantes.

Além disso, o APT 31 também foi vinculado a invasões de campanhas eleitorais nos EUA, inclusive a do atual presidente, Joe Biden.

Com informações: Gizmodo


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *