Como abrir uma startup de sucesso sem renda? Veja. - Programadores Brasil
Mercado de TI

Como abrir uma startup de sucesso sem renda? Veja.

6 Mins read

Pode ser uma frase típica de palestra motivacional, mas a realidade é simples: a única coisa que você precisa para começar uma empresa é de você mesmo.

[+] Preço do Bitcoin se estabiliza após seis semanas de flutuação

Esqueça parceiros, investidores-anjo, dinheiro, equipe qualificada. Eles serão úteis na hora certa, mas você não precisa deles para começar.

Se achou a afirmação acima muito dura, nem continue a leitura. Contudo, se tem interesse de começar seu próprio negócio (sem dinheiro e sem equipe) vai encontrar dicas valiosas.

[+] Veja 7 dicas para Reduzir os Custos com TI na sua empresa

Preparado?

Tenho uma ideia, mas não sei se combina com o modelo de startup

Essa dúvida é muito comum para quem deseja empreender. Para esclarecê-la de uma vez por todas, pense sempre no conceito de startup definido por Eric Ries, autor do livro Lean Startup.

Ele afirma:

“Uma startup é uma instituição de pessoas tentando criar algo novo sob condições de extrema incerteza”.

Claro que a sua ideia não precisa “reinventar a roda”. O Uber, por exemplo, começou no mercado como um serviço de motorista particular. Esse tipo de serviço já era oferecido por táxis e outras empresas.

Apesar disso, a startup já tinha como propósito transformar o conceito de mobilidade urbana, de maneira rápida, escalável e em um cenário pouco receptivo.

[+] Confira 10 Startups que possuem vagas de TI abertas

Assim, se o seu negócio já tem um propósito e tem chances de ser replicado com agilidade, o modelo de startup é uma opção.

Defini o modelo de negócio, mas ainda não sei como tirá-lo do papel

Dê o primeiro passo. Parece óbvio, mas não importa a sua ideia ou se já tem o produto final, apenas comece. O modelo de startup é excelente para isso, pois não exige um alto custo para iniciar suas atividades.

Além disso, é comum que as startups comecem com poucas pessoas e conseguimos provar isso com números.

O relatório publicado em 2016 pela Parallaxis Economia e Ciência de Dados, em conjunto com o escritório jurídico Perrotti e Barrueco Advogados mostra que mais de 70% das startups possuem entre dois e quatro sócios e 21% nem chegam a contratar profissionais externos.

Se tem gente conseguindo tocar um negócio sozinho, você também é capaz. Listamos algumas dicas que podem te ajudar nessa fase inicial. Confira:

1.Determine com clareza a sua ideia

Seja um produto ou um serviço, saiba com precisão qual o problema você quer resolver. Depois, defina como a sua empresa irá solucioná-lo.

Crie ainda uma persona e e faça um rascunho de como a sua startup funcionará de acordo com a perspectiva dela. Após terminar essa tarefa, descreva tudo que é necessário para construir essa realidade.

O bom desse exercício é que as chances de encontrar falhas e gargalos no processo são grandes. Visualizando com antecedência, você consegue resolvê-los antes de investir dinheiro.

2. Pesquise e analise o mercado

O seu maior desafio no início da startup não é a falta de dinheiro, mas sim convencer os outros que a sua ideia pode dar certo. E, uma ideia de valor rende frutos (e lucros!) no futuro.

Antes de sair criando modelos, procurando mentoria, pesquise muito. A ideia pode fazer sentido para você mas não funcionar para os clientes.

Como fazer essa pesquisa? Abuse das ferramentas online. Use as redes sociais para conversar com as pessoas, participe de fóruns, leia publicações especializadas sobre o mercado que deseja atuar. Maneiras não faltam de descobrir como o mercado funciona ou o que as pessoas querem.

3. Desenhe o seu produto ou serviço

Pense em fluxos e em cada etapa do seu negócio. Se ele vai ter um site, saiba exatamente onde ficará cada botão e para qual caminho o cliente será direcionado. Toda página precisa ser mapeada.

O objetivo aqui é que você entenda como funciona a sua ideia e o que ela precisa para sair do papel.

Diversas ferramentas e metodologias podem te ajudar nessa fase, como o Design Thinking, o Business Model Canvas e, pasme, até um lápis e uma folha de papel.

4. Um olho no seu negócio, outro no concorrente

Você já sabe o que quer. Porém, já deu uma olhada no que outras empresas estão fazendo? Avalie o modelo comercial, como elas se posicionam no mercado, a estrutura interna.

Pesquise o máximo que puder, reúna esses dados, encontre padrões e, principalmente, brechas que possam fazer a sua startup ser diferente.

5. Educação é a alma do negócio

Não precisa cursar uma faculdade de administração ou ter um MBA em gestão de negócios para abrir uma empresa. São títulos importantes, mas não essenciais.

O que importa é a sua vontade de aprender. Leia livros, blogs especializados, faça cursos online, é imprescindível se educar para sobre diversas áreas para que o seu negócio aconteça.

Esse processo é constante. Ninguém nasce (nem morre) sabendo tudo. Empreender e ter uma startup te obriga a entender sobre várias áreas, do marketing a vendas, de maneira rápida. Afinal, você tem que escalar a sua ideia.

Tudo pronto para começar meu negócio, mas falta dinheiro

A máxima faça o que você pode, com o que você tem, no lugar onde você está deve servir como guia de qualquer empreendedor, principalmente quando faltam recursos financeiros.

Nesse cenário, o mindset conta muito. É preciso ter auto motivação, persistência e iniciativa. Além disso, algumas práticas podem ajudá-lo a driblar a escassez de dinheiro. Experimente fazer as seguintes ações:

1. Encontrar ferramentas para reduzir seus custos

Criar uma logo para a sua empresa, contratar um desenvolvedor, ligar para os clientes. Você sabe onde contratar esses serviços e também sabe o quanto eles podem sair caros.

Ainda bem que existem alternativas para ajudá-lo a gastar o menos possível e ainda transformar a sua ideia em realidade.

Não subestime mecanismo ou serviços como o We do Logos, Pipefy, Skype entre outros que podem salvá-lo no início dessa jornada. Assim você consegue agir de acordo com a sua realidade.

2. Promover seu negócio na internet

Já dizia Chacrinha: quem não se comunica, se trumbica. Em tempos de internet, é até estranho dar esse conselho, mas muitos empreendedores esquecem que pode fazer um bom trabalho de divulgação usando o marketing de conteúdo e digital a seu favor (e até de graça!).

Nas redes sociais, por exemplo, se o orçamento estiver apertado para desenvolver anúncios pagos, você pode pensar em ações para estimular mais seguidores. Por exemplo, crie uma comunidade e ofereça o teste do seu produto grátis.

Desenvolva conteúdo de qualidade no seu blog, eduque os clientes sobre o seu produto, estabeleça diálogos, use técnicas de SEO para ser encontrado nos mecanismos de busca.

Construir essa presença online é fundamental para se posicionar no mercado e ajudar em futuras vendas.

3. Construir uma rede de contatos sólida

Relacionamento é a base para conseguir escalar a sua ideia. É aquela história: sempre existe alguém que conhece outra pessoa com a solução para o seu problema.

Por isso, converse. Não tenha medo de compartilhar a sua ideia e mostrar o que está fazendo. Além disso, escute o que as pessoas têm a dizer sobre a sua startup, talvez elas consigam enxergar um valor até então desconhecido para o seu negócio.

Uma boa ideia é participar de eventos que tenham a ver com o seu negócio. Pode ser eventos gratuitos ou pagos, o importante é estar presente em locais com grandes players do mercado. Vá preparado, com uma estratégia em mente e não saia sem trocar ao menos um contato.

O fato é que, pessoas inspiram e isso não tem preço.

4. Ter um mentor

Aproveite a dica anterior para encontrar um mentor para você. É importante, principalmente no cenário de startup, ter alguém mais experiente no mercado para servir como modelo e orientar as suas ações.

Para isso, esteja preparado para ouvir críticas e aprender muito. O mentor pode ajudá-lo tanto em questões técnicas, quanto em questões pessoais. A sua maior função é fazer a sua startup decolar.

O melhor dessa ideia é ter uma pessoa que vai acompanhá-lo ao longo de toda a sua trajetória como gestor, sem um vínculo societário, apenas para fazê-lo crescer profissionalmente. Vale a pena, né?

5. Focar primeiro no seu produto ou serviço

É preciso fazer “tudoaomesmotempoagora” quando falamos em startup. A sensação de gerir seu próprio negócio é de que você não vai dar conta de resolver todas as pendências programadas para o dia. E, na maioria das vezes, é isso que acontece..

Divulgar, vender, fazer networking, tudo é urgente. Mas, sem o produto ou o serviço pronto, é difícil realizar essas tarefas, não é mesmo?

Por isso, no início, foque na construção do seu produto. Crie ele de maneira que possa começar a vendê-lo. Concentrar seus esforços no desenvolvimento da sua ideia permite que você ganhe tempo a longo prazo e, uma vez a mercadoria consolidada, fica mais fácil mudar o foco para as outras áreas.

Via: Rock Content.


Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue Lendo

Empresas oferecem diversas vagas de emprego na área de Tecnologia. Também há chances para oportunidades de estágio no setor. Confira

Vagas na área de TI da PUCRS: universidade oferece 35 oportunidades, com possibilidade de trabalho remoto. Confira

Vagas de emprego na área de TI: empresa de Tecnologia, Qiness, abre 730 oportunidades no Brasil e exterior. Veja como concorrer

Dell oferece programa de relacionamento e vantagens para profissionais de TI, com diversos benefícios. Conheça

Parceria entre Softex e Microsoft oferece curso gratuito de Tecnologia para mulheres. Veja como participar

Grupo Fleury sofre tentativa de ataque cibernético e tem partes de seu site comprometidas. Saiba mais

Hyundai anuncia aquisição da empresa de robótica Boston Dynamics, responsável pela criação do cão-robô Spot. Entenda

Totvs abre 300 vagas de emprego para diferentes áreas, sendo a maior parte destinada ao setor de Tecnologia da Informação. Saiba mais

Oportunidades de emprego na área de Tecnologia da Informação: RankMyApp abre vagas para diferentes cargos. Confira

Mark Zuckerberg avalia que realidade virtual se desenvolve 'mais rápido do que o previsto'. Veja